domingo, 17 de maio de 2015

ANÁLISES - Tomb Raider

Não consegui meios para se fazer uma análise sem antes realizar um breve comentário sobre a franquia Tomb Raider.


Toda a historia se iniciou em 1996 quando o primeiro Tomb Raider foi lançado para Sega Saturno e depois para o Playstation. O game era uma aventura em terceira pessoa completamente 3D e o jogador controlava Lara Croft, que mais tarde viria a ser reconhecida pelo Guiness Book como a heroína de video-jogo/vídeo game mais bem sucedida, resolvendo enigmas, enfrentando animais perigosos e colecionando objetos raros.

Tomb Raider 1


Após mais de 10 anos de sua produção, Tomb Raider começou a cair no esquecimento pelos fãs, mesmo com o premio de melhor game do ano em 2006. A Square Enix comprou os direitos do nome Tomb Raider e iniciou um projeto ambicioso de restauração e reinicialização de toda a historia da musa mais conhecida pelos gamers. O novo Tomb Raider é um game de ação e aventura em terceira pessoa com elementos de sobrevivência, suspense e terror, desenvolvido pela Crystal Dynamics e distribuido pela grande e imortal Square Enix e lançado no dia 5 de março de 2013 para Playstation 3, Xbox 360 e PC. O jogo possui opções para áudio em inglês, espanhol e francês e conta com legendas em português do Brasil, até reclamaria se não tivesse visto o péssimo resultado da dublagem em PT-BR em jogos recentes como COD Black Ops 2 e God of War, onde pude ver algumas vozes sem expressão, outras que não combinavam com o personagem e inúmeros erros de atraso nas falas, onde o áudio saía uns 4 segundos depois da cena, então estou feliz apenas com as legendas.

A história do game se passa quando Lara ainda não era uma exploradora como a conhecemos atualmente. Com apenas 21 anos, nossa musa se encontra a bordo do Endurance em busca da civilização perdida de Yamatai, na Asia, que era dominada por uma antiga Deusa do Sol chamada Himiko, que segundo a lenda, possuía poderes sobrenaturais para invocar tempestades e maremotos.

Himiko
O game foi feito para que você esqueça tudo que se sabe sobre a história de Lara, um reboot ousado e que a primeira vista os fãs não apoiaram, então não esperem ver a Lara explodir um templo, matar um Kraken, pular de avião, matar o Nemesis na faquinha, tirar um braço de ferro com Kratos e ainda assim, sair sem nenhum arranhão.

Endurance

O Endurance conta com 12 tripulantes, porém apenas 8 são citados no game, e uma quantidade menor ainda foi trabalhada para se tornar um personagem marcante. A maioria deles são vazios e se não estivessem no game não fariam falta. São eles:
Roth
Conrad Roth é um ex-soldado da marinha britânica. Se torna o principal instrutor de Lara para que ela possa se transformar realmente em uma guerreira e um dos principais personagens do game mesmo com pouca profundidade de sua própria história no decorrer do jogo. É conhecido por sua inteligência e habilidades.



Sam
Samantha Nishimura, ou simplesmente Sam, é uma amiga de Lara que investiu todo o dinheiro da família na expedição em busca de Yamatai. Os Solariis acreditam que Sam é uma descendente de Himiko e ela se torna uma das personagens principais no enredo do game.


Joslin Reyes
Conhecida apenas por Reyes, Joslin é uma ex-policial que se tornou a mecânica do navio. Reyes conhece Roth a dez anos, quando trabalharam juntos em um navio. Ela possui uma de 6 anos chamada Alisha.


Angus Grimaldi
Nascido na Escócia e conhecido apenas por Grim, Angus é o primeiro oficial do Endurance. Grim trabalhou inúmeras vezes com Roth no passado e ja se ajudaram muito.


Alex Weiss
Alex é o que parece ser o Nerd da equipe. Mais um dos personagens que não teve sua história aprofundada no jogo.


Jack Whitman
Arqueólogo formada e apresentador de uma série de TV, Dr. Whitman é fascinado por escavações e esculturas. Decide se entregar aos Solarii apenas para conhecer mais sobre Himiko. Apesar de aparecer no game de forma constante e suspeita, não teve sua história aprofundada

Jonah Maiava
Jonah é o cozinheiro do navio, sua presença no game serve apenas para o multiplayer, pois no modo campanha ele é só mais um.


Lara Croft
Nossa musa dispensa apresentações não é mesmo?! Mas mesmo assim vamos falar sobre uma curiosidade. Lara é recem-formada em arqueolologia e a busca por Yamatai é seu primeiro trabalho após a conclusão dos estudos. Isto explica o porque de Lara gemer e gritar tanto, a maior parte dos fãs da morena a conhecem como sendo uma mulher fria, destemida e imbatível nos games anteriores. Este foi o primeiro impacto e o que na minha opinião fez com que a personalidade de Lara ficasse tão boa no reboot da série, uma mulher comum, que se machuca, sente dor, tem medo e faz você criar uma preocupação em como ela vai sobreviver a toda sua aventura. Ela se tornou uma obra-prima exatamente por abandonar os atos heróicos e nos mostrar um lado mais humano e simples.

O grupo se encontra em seus últimos recursos de financiamento das pesquisas e Lara sugere que devem procurar a leste, próximo do Mar do Diabo. Withman como arqueólogo chefe recusa a ideia e quem intervem para que a sugestão possa ser utilizada é o responsável pela expedição e também quem treinou Lara nos instintos básicos de sobrevivencia , Roth e também de sua companheira Sam.

Ao chegar ao Mar do Diabo o Endurance se encontra com uma terrível tempestade e afunda. É então que nossa jornada começa. Lara deve encontrar os outros sobreviventes, mas antes disso ela ira se deparar com um grupo de nativos da ilha que se intitulam como Solarii. Os Solariis são na verdade sobreviventes de outros acidentes que acreditam que precisam encontrar a descendente de Himiko para poderem fugir da ilha. Mesmo com uma história simples, o desenvolver da trama, que se torna muito instigante, e o comportamento de nossa Lara conseguem nos prender por horas e horas durante o gameplay.



O jogo possui excelentes gráficos, todos muito bonitos e trabalhados, com um polimento e uma renderização excelente mesmo em ambientes abertos, onde geralmente nestes tipos de jogos são maquiados com falta de luminosidade, porém este não é o caso de Tomb Raider, independente de onde você estiver, verá gráficos maravilhosos, mesmo com alguns bugs no sistema de física do game.



A física do game deixou um pouco a desejar. Lara realiza saltos muito altos e as vezes sem impulso algum, e ainda por cima é possível mudar a direção no meio do salto (sim, em pleno ar) da nossa morena, isso é imperdoável para um jogo que buscava tanto realismo. Algumas vezes alguns corpos de animais e inimigos quando se encontram em barrancos começam simplesmente a deslizar parecendo que o piso esta escorregadio e de vez em quando é possível visualizar as aves simplesmente sumindo dentro das montanhas. Porém não detectamos nada que afete o gameplay.

A jogabilidade do game esta muito boa, Lara responde bem aos movimentos, em locais com mais de uma opção para efetuar ela realiza o que deve realmente ser feito e não temos aqueles casos de você querer se abaixar e ela querer pegar um objeto. O modo stealth (matar sem ser notado, ou simplesmente camuflado) do game esta muito bom e ajudou a resolver os problemas que normalmente se da ao dar mais de 2 funções para o mesmo botão, isso porque este modo se ativa automaticamente com a presença de inimigos, então sua única preocupação é simplesmente andar pelo cenário, facilitando muito a nossa vida.



A trilha sonora do game não é tão presente, eles deram muita ênfase aos sons ambientes, como chuva, trovões e animais para dar um clima mais realista a trama, porém quando as músicas entram em ação elas se encaixam muito bem aos momentos, nos fazendo imergir no mundo de Lara, com toda a tensão e perigo que a rondam e o que ela pode explorar e encontrar, sem contar que as músicas tem uma qualidade excelente, um aspecto louvável nos dias atuais, onde infelizmente a trilha sonora perdeu seu espaço para apelação erótica e gráficos bonitos.

A dublagem do game, estou para dizer, que ficou apenas boa. Os personagens mais ativos e importantes da história, como Lara, Sam, Mathias e Roth estão impecáveis, simplesmente maravilhosos, porém os outros personagens parece que faltou um pouco do mesmo capricho. Me lembro de um trecho do gameplay onde os sobrevivente estão presos em um tipo de jaula e o cenário começa a explodir e você deve ajudar eles. Todo ser humano, em sã conciência, iria entrar em desespero, gritar para a Lara correr, andar logo, chorar, sei lá, porém fica notável a falta de sentimento nas vozes dos personagens e frases sem sentido como "Cuidado onde pisa Lara" (você está preso em um lugar que está explodindo e realmente vai se preocupar em falar algo desse tipo?) nestes trechos.

O modo campanha conta com um método de evolução muito bom. Você ganha pontos de experiência pelos seus atos no game, como matar inimigos ou animais, resolver os enigmas das tumbas secretas, recolher comidas, relíquias e documentos. Estes pontos de XP, ao chegarem em um determinado valor, geram um ponto de habilidade para se utilizar em Lara. As habilidades da heroína a ajudam no modo de sobrevivência, combate e caçada. As habilidades vão de carregar mais munição, escalar mais rápido, obter itens extras ao checar os corpos dos inimigos mortos, efetuar um ataque mortal após realizar uma esquiva até ter mais firmeza ao utilizar o arco e flecha, chegando a 24 habilidades disponiveis. Cada habilidade consome 1 ponto e não é possível redistribui-las, então se você não pretende correr atrás do troféu de chegar ao maximo em habilidades de todas as categorias, é bom que saiba as que você melhor vai usar, para não gastar um ponto em uma habilidade inútil para você. Outro método de evolução muito bom é o das armas, onde você pode realizar upgrades nelas conforme encontra fragmentos durante o gameplay. Cada melhoria consome uma certa quantidade de fragmentos e é possível realizar as melhorias em todas as armas. Os upgrades são bem realistas e explicativos, como reforçar o corpo do arco, colocar uma coronha acolchoada no rifle para aumentar a estabilidade da arma, colocar pentes extendidos nas armas para ter menos recarga e modificações no gatilho para uma maior frequência de disparos. Os upgrades se encontram em sua maioria bloqueados no inicio do jogo e vão aparecendo conforme se avança no game.



O tempo de campanha varia entre 10 a 16 horas, dependendo do quanto você decide explorar o cenário, coletando as relíquias, encontrando as tumbas secretas e realizando os desafios de cada trecho da ilha. Achei o tempo suficiente e muito balanceado entre exploração e aventura.

O jogo conta com um modo multiplayer, que mesmo sendo básico, sem inovações e que pareceu forçado, ajudar a manter o game por mais tempo. Como todo bom e velho multiplayer, nós temos alguns modos de jogo, como o Resgate, Mata-mata em equipe, Grito por ajuda e o modo Cada um por si.

Resgate
Neste modo a equipe dos sobreviventes devem resgatar suprimentos médicos e leva-los para o acampamento antes que a equipe de Solarii os matem, a equipe que atingir a quantidade necessária vence a partida. Muito simples e fácil para se ganhar xp.

Mata-mata em equipe
Mais usado que buzina no trânsito de São Paulo. O bom e velho time "A" contra time "B" não poderia faltar em um game com suporte multiplayer online. Infelizmente não tivemos evolução neste modo e ele continua como sempre. A equipe que atingir a quantidade de mortes necessárias vence a partida.

Grito por ajuda
Neste modo os Sobreviventes devem ativar os transmissores de rádio enquanto lutam para que os Solariis roubem suas baterias.

Cada um por si
O nome ja diz tudo, é todo mundo matando qualquer coisa que se mexer. Quem matar mais ganha a partida.

Infelizmente o modo online não conta com miras muito precisas e quando temos muitos elementos na tela a taxa de frame cai e acabamos passando raiva com a movimentação dos personagens. Os cenários também não ajudam muito pois são pouco desenvolvidos, nem parecendo se tratar do mesmo game do modo campanha. O multiplayer ainda conta com um método de evolução por níveis e várias armas e equipamentos para desbloquear. Sinceramente, jogo este modo apenas pelos troféus, que em uma tentativa frustrada de fazer o pessoal jogar online, foi absurdamente infestado por eles neste modo.

Vale a pena comprar o jogo?
-Você é fã de jogos de ação e aventura? Vale a pena sim, o game conta com um desenvolvimento do enredo muito bom, uma Lara Croft mais humana e interessante, jogabilidade excelente, tempo de campanha satisfatório e gráficos lindos.
- Você joga todos os tipos de jogos? Sim, vale a pena também pois é um game é resultado de produção fantástica e o resultado final fez jus ao nome Tomb Raider. Não pode faltar na prateleira.
- Você gosta de jogar apenas online? Não, o game não conta com um modo multiplayer online decente, muito simples e sem inovações, sem contar os erros mencionados referente ao frame e os cenários muito simples. Se dependesse apenas do modo online, o game entraria no esquecimento muito fácil, ou pior, seria lembrado como um péssimo game.
- Você é caçador de troféus? Sim, o game vale a pena, mas você vai precisar ter muita paciência nos troféus do modo online, principalmente o de chegar ao nivel 60 e o de comprar todos os itens e personagens jogáveis.

Logo abaixo estou deixando o vídeo da introdução do game com legendas em PT-BR



Um grande abraço a todos!

Se você gostou do nosso blog, entre em nossa página do Facebook clicando no Sackboy do Ezio e receba as notícias sobre o mundo dos games direto no sua página de atualizações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário